Administrador

Administrador

Intenção é organizar futsal com 20 primeiras equipes inscritas Estão abertas as inscrições para o Campeonato Interfábricas do Sintracom SBC-DMA, agendado para começar em 31 de julho de 2010. As competições devem se estender até meados de outubro e serão realizadas na chácara do sindicato como pleiteado pelos trabalhadores no ano passado. O vencedor irá representar a entidade nos Jogos Operários organizado pela FSCM. “Desejamos que as equipes antecipem as inscrições porque a intenção é organizar o torneio de futsal com 20 times”, afirma Helton Colares, secretário de Esporte, Cultura e Lazer. As equipes interessadas podem solicitar fichas de inscrição no sindicato. A quadra da sede de campo passa por reforma estrutural para acolher as partidas de futsal. O campeonato inclui ainda dominó, truco e sinuca. “O sindicato se dispôs a investir em favor do conforto dos trabalhadores”, diz o secretário. O objetivo do campeonato é unir a categoria em momentos de lazer e descontração, além de aproximar familiares da vida sindical. Em 2009, o torneio atraiu cerca de 200 trabalhadores para disputar as modalidades e a equipe da Estilos Móveis levou o troféu no futsal.
Dilma diz que projeto é novo esforço em manter volume de investimento O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2, idealizado por Dilma Russef, poderá gerar fluxo anual de investimentos na construção civil de R$ 137,2 bilhões e um total de 2,83 milhões de empregos. “O PAC 2 é mais esforço para fazer nosso país manter o volume de investimento”, afirma Dilma. Os dados são de um estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV) para a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), divulgado hoje. Segundo o estudo, somente no setor da construção civil poderão ser gerados 1,94 milhão de empregos e 888 mil nos demais setores. Além disso, os investimentos vão gerar R$ 124 bilhões adicionais na economia, sendo R$ 74 bilhões na construção civil e R$ 50 bilhões em outros setores. O estudo também analisou o fluxo de investimentos do programa Minha Casa, Minha Vida, que poderá gerar uma renda de R$ 62, 856 bilhões na economia, só no setor da construção civil. A renda que poderá ser gerada com o programa poderá chegar a 37,552 bilhões. O programa poderá gerar 1,434 milhão de empregos, sendo que 984 mil deles na construção civil. Também foi analisada a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no período de 24 meses para materiais de construção. A estimativa é de que, no período, o Produto Interno Bruto (PIB) teria uma elevação de 1,34% e a expansão no nível de emprego seria de 1,72%. Além disso, haveria uma queda na carga tributária de 0,013 ponto percentual, mas, por outro lado, haveria uma variação positiva na arrecadação global de impostos e contribuições de 1,3%. A análise também mostra que a desoneração poderia retirar 211 mil famílias, por ano, do déficit habitacional. As informações são da Agência Brasil.(Redação - Agência IN) ,19:33 - 07/04/2010
Domingo, 20 Junho 2010 17:11

Acordos fixam novos pisos para categoria

Trabalhadores recebem reajustes salariais e outros benefícios sociais Os trabalhadores da construção conquistaram reajuste de 8,01%, em 1º de maio de 2010, sobre o salário vigente em 1º de maio de 2009. O piso para não- qualificado foi para R$ 829,40 por mês ou R$ 3,77 por hora, enquanto que os qualificados têm piso de R$ 990 por mês ou R$ 4,50 por hora. Pela nova convenção, as empresas têm de fornecer aos empregados almoço completo no local de trabalho, sendo que para trabalhador alojado em obra, deve oferecer jantar completo ou tíquete-refeição, no valor mínimo de R$ 12,50. A novidade é a inclusão de lanche da tarde com um copo de leite, café um pão tipo francês com margarina, que deve ser servido entre 15h e o término da jornada de trabalho. Outra conquista da categoria foi a obrigatoriedade de as empresas fornecerem gratuitamente dois jogos de uniformes e a cesta básica de 36 quilos agora tem de ser entregue na casa do trabalhador. O piso para os trabalhadores da montagem industrial foi para R$ 1.210,00 ou R$ 5,50 por hora. Produto cimento -- A convenção fixou dois percentuais de reajuste, sendo 7 % para salários até R$ 1.300 e 6,5%, acima de R$ 1.300,01. O piso para trabalhadores não-qualificados foi para R$ 762,91 por mês, ou R$ 3,4678 por hora, e para qualificados, R$ 920,20 ou R$ 4,1828 por hora. A cesta básica para o segmento tem de ter pelo menos 30 quilos 10 quilos arroz (TIPO 01) 04 quilos feijão (TIPO 01) 04 litros óleo de soja 04 pacotes macarrão com ovos (500 gr.) 04 quilos açúcar refinado 02 pacote café torrado e moído (500 gr.) 01 quilo sal refinado 01 pacotes farinha de mandioca crua (500 gr.) 01 quilo farinha de trigo 01 pacotes fubá (TIPO 01 500 gr.) 03 latas extrato de tomate (140 gr.) 03 latas sardinha em conserva (135 gr.) 01 lata salsicha - tipo Viena (180 gr.) 01 pacote tempero completo (200 gr.) 02 pacotes biscoito doce (200 gr.) 01 lata goiabada (700 gr.) O tíquete refeição ficou com valor mínimo de R$ 10 cada, sendo que o empregado receberá quantidade equivalente aos dias de trabalho efetivo no mês. Para os alojado, a empresa oferecerá um tíquete para almoço e outro para o jantar. A PLR de 01/03/2009 à 28/02/2010 é de R$ 300 a serem pagos em duas parcelas de R$ 150, sendo a primeira em maio de 2010 e a segunda em outubro de 2010.
Domingo, 20 Junho 2010 17:08

Conclat reúne 30 mil no Pacaembu

Evento organizado por cinco centrais sindicais aprovou agenda de compromissos para próximo presidente da República Trinta mil pessoas de todo o País lotaram o estádio do Pacaembu, em São Paulo, dia 01 de junho para aprovar a Agenda da Classe Trabalhadora, documento com propostas e reivindicaç?es do movimento sindical para o desenvolvimento do Brasil. As cinco centrais sindicais que organizaram a Conclat (Conferência da Classe Trabalhadora), entregarão a agenda aos pré-candidatos à Presidência da República. “Talvez nem todos os candidatos aceitem a pauta, mas quem aceitar firmará um compromisso e será cobrado pelas centrais sindicais”, afirmou o coordenador da regional da CUT no ABCD, Cladeonor Neves da Silva. Foi a primeira vez que cinco centrais sindicais, entre as quais CUT (Central Única dos Trabalhadores) e Força Sindical, se reuniram para um mesmo propósito. Cerca de 60 ônibus levaram os trabalhadores da regi?o ao evento. A agenda dos trabalhadores dispõe de seis eixos de lutas: crescimento com distribuição de renda e fortalecimento do mercado interno; valorização do trabalho decente com igualdade e inclusão social; Estado como promotor do desenvolvimento socieconômico e ambiental; democracia com efetiva participação popular; soberania e integração internacional; direitos sindicais e negociação coletiva. Ao longo do evento foram mostrados seis vídeos que explicaram cada eixo temático. “A principal luta é para a redução de jornada de trabalho de 44h para 40h sem redução de jornada”, afirmou o coordenador da regional da CUT no ABCD, Cladeonor Neves da Silva.
Página 58 de 58